BEM VINDOS ÀS ILHAS ENCANTADAS ****** BEM VINDOS ÀS ILHAS ENCANTADAS ****** BEM VINDOS ÀS ILHAS ENCANTADAS ******

sexta-feira, outubro 05, 2007

A PLANTAÇÃO DE BATATAS



Pois é, menina! Semear é uma arte!

Foi assim, com um certo sorriso nos lábios, que o Ti João com o seu rosto emoldurado pelas marcas profundas do passar dos anos, me ensinou bem cedo uma das lições básicas para toda a vida. " Se queremos colher, temos que bem semear ".

Lembro-me de ver o Ti Toino a semear as suas batatas e de cada vez, para seu desepero, na hora da apanha, aparecerem ainda mais pequenas que as anteriores.

Mesmo ao lado, o Ti João pelo contrário colhia belas batatas. Dava gosto vê-las.

Um dia, e porque "o porquê das coisas" sempre me fascinou, sentei-me ao lado dele na beira do muro que dava para o caminho e em vez de falarmos do tempo, dos filhos e da Ti Augusta que andava adoentada, falámos daquela diferença que saltava aos olhos e que tanto me intrigava.

Na sua voz pausada, que ainda hoje consigo ouvir, disse-me:

- "Não tem segredo nenhum! A terra tem que ser preparada para que possa produzir. Se semeamos a batata sempre em cima da mesma terra cansada de tantos anos, sem a deixarmos primeiro respirar, descansar até se recompôr, apanhar chuva e sol, remexê-la com o arado para se renovar, adubá-la e formos "cabeçanas" e apressados como ali o Ti Toino, nunca havemos de colher nada que preste".

E continuando, foi-me dizendo que não tinham já conta as vezes que lhe tinha explicado tudo isso, mas que se havia de fazer, ele insistia em fazer à sua maneira...

Belo fim de tarde aquele que nunca mais esqueci. O segredo não está no acto em si, mas na preparação do terreno onde queremos colocar e depois colher o que quer que seja.

Há na verdade "um tempo" para tudo. Se forçamos esse tempo, se não se der "tempo ao tempo", esse tempo pode até nunca chegar.

Válido para as batatas, válido para tudo na vida.

E voltando às palavras do Ti João, "Semear é uma arte, falhas na semedura é o que se vê! Uma tristeza, menina, uma tristeza."

Palavras sábias as do Ti João!

16 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Oi Pássaro Azul
Tardaste em escrever, mas estás de volta, o que registo com grande alegria.
Benvinda a este mundo onde nos encontarmos sem nos conhecermos.
Valeu o teu texto.
Angela

12:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Vim aqui só para te dar as boas vindas e dizer-te que já encontrei alguns Ti Toinos no meu caminho.
Há que ser forte e paciencia é dose.
Catarina Penha

12:04 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Semear é uma arte. A quem o dizes.
Vou ler o teu texto com nomes femeninos, porque as Tias qualquer coisa, também são "cabeçanas" como tão bem lhe chamas.
Leandro Gois

12:09 da manhã  
Blogger maria said...

Palavras s�bias as do TiJo�o.

Vou colocar um poema que me ensinou o TiJaquim Forneiro pastor que n�o sabia ler nem escrever mas que era uma enciclopedia viva.

O mundo � uma vinha
cada cepa um crist�o
vem a morte faz vindima
n�o procura gera�o.
bjs.Fatima

8:07 da tarde  
Blogger Je Vois la Vie en Vert said...

Obrigada pelos seus ensinamentos vários ... até de plantar batatas ;-).
Um beijinho verdinho amigo

5:07 da tarde  
Blogger david santos said...

Que texto! Que grande lição! De facto, este é um trabalho invulgar. Mas um trabalho de muita validade e, além de sentido, pelas palavras do Ti João, é um trabalho de mestre. Aliás, nem o Ti João merecia outra coisa, que não fosse uma homenagem tão bem feita e tão merecida.
Eu já li milhões de coisas. Mas muitas, mesmo muitas, vão-se embora. Já velho, como sou agora, nunca esperei apanhar mais uma das que ficam. Sim senhor! Valeu a pena vir até ao teu espaço. Vim aprender e guardar mais uma das que li. Esta é das que fica. Não é das que vai embora.
Muito obrigado, pássaro azul!
Muitos parabéns. Para mim, o dia de hoje valeu a pena.
Adorei, pássaro azul, adorei.
Até sempre

David Santos

12:24 da manhã  
Blogger Luz&Amor said...

Olá Pássaro Azul. Bonita a tua casa. Agradecemos a visita, nós (eu e Tony). Sê sempre bem vinda.
Beijos com carinho.
Bjs

11:26 da manhã  
Blogger DE-PROPOSITO said...

Em tudo há arte. Até nas coisas mal feitas.
Fica bem.
E a felicidade por aí.
Manuel

7:49 da tarde  
Blogger Pepe Luigi said...

Estimada Amiga,
Maravilhosa história real cujo conteúdo demonstra o quanto duas pessoas se podem entender e congratular pelo simples atributo de saber dizer e bem escutar.
É um facto que o conhecimento através da ciência nos ensina sempre algo, porém não raras vezes vazio de espírito.
O caso do Ti João no seu conceito de experiência empírica "se queremos colher, temos que bem semear" é bem um exemplo em que nos mostra ser este tipo de sabedoria, para além de nos proporcionar conhecimentos após conhecimentos, vem eivado de calor humano confortando-nos a alma.

Muito agradeço os seus generosos e gentis comentários no meu sinestesia. Obrigado.

Um beijinho.

8:12 da tarde  
Blogger Jasmim said...

para colher há que semear.
"Podemos escolher o que semear, mas somos obrigados a colher aquilo o que plantamos." (Provérbio Chinês)

9:04 da tarde  
Blogger Ilda Oliveira said...

Que Esta Casa Bonita possa Sempre ser repleta de imagens e palavras que Elevem nosso Ser mais um Pouco...
Até Breve
Um Abraço
Ilda Oliveira

9:47 da tarde  
Blogger poeta_silente said...

Maravilhosas palavras. Uma sabedoria inspirada pelo Espírito Santo de Deus.
Obrigada por compartilhar conosco estes ensinamentos.
Deus te abençoe.
Miriam

10:28 da tarde  
Blogger Sol da meia noite said...

Obrigada pela visita.

Cantinho lindo o teu! E este post cheio de ensinamentos!
Pois em tudo na vida se tem que dar tempo ao tempo... Tudo a seu tempo...

Beijinhos!

11:37 da tarde  
Blogger david santos said...

Voltei para reler.

2:40 da tarde  
Blogger rui guerra said...

o gosto pela terra, é pouco compreensível para urbanos e semi-urbanos.
O "chamamento" para observar e transmitir tradições, de forma a que estas não se percam.
Obrigado pela sua visita e palavras, que foram de incentivo à escrita.
Gostei destas batatas.

5:13 da tarde  
Blogger Alexandre said...

Sinto um apelo pela terra... já semeei algumas toneladas de batatas na minha vida, e acho que o farei nos próximos meses outra vez... o contacto com a terra faz parte de nós, deveria ser obrigatório nas escolas - nalguns colégios é!

Abraços!!!

12:06 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home